Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Campinas, SP, 25 (AFI) - O clime esquentou na África do Sul. Nesta quinta-feira, Membros da Aliança de Deficientes da África do Sul (Sa'adah) fizeram uma manifestação queimando pneus e rodas em frente ao Estádio Soccer City, em Johanesburgo.
Veja também:
Espanhol: Real Madrid vence Getafe e reassume a liderança

O protesto na frente do estádio da final da Copa aconteceu devido à falta de acesso para os deficientes físicos neste e nos demais estádios do Mundial deste ano. "Queimamos rodas porque elas são nossa mobilidade, mas não podem nos levar aos estádios", disse Ari Seirlis, membro da aliança, à imprensa local.

"Queremos estar ali, queremos ser parte da ação, mas os estádios não estão preparados para nos acomodar", continuou o deficiente físico. De acordo com Seirlis, o gesto foi simbólico e não tem como pretensão causar outros protestos, e sim mostrar a frustração dos deficientes por não poder assistir aos jogos da Copa.

Outros membros da Sa'adah protestaram no estacionamento em frente à sede da Federação Sul-Africana de Futebol, e também entregaram um memorando a Danny Jordaan, diretor-executivo do Comitê Organizador da Copa.

Ao receber o memorando, Jordaan afirmou que vai organizar uma reunião com os representantes da Sa'adah para discutir as reivindicações dos deficientes. O encontro acontecerá no próximo dia 31.