Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Uma família do loteamento Nova Rio Branco, no Caí, vive um drama. O menino Vanderson, de 13 anos, está impedido de sair de casa. Conforme a mãe, Sirlei Terezinha Buzanello, o filho é deficiente físico e mental desde os sete meses, quando foi vítima de meningite. 

Ele só pode ser transportado através de cadeira de rodas ou carregado. Entretanto, a rua onde a família mora está intransitável, tamanho é a quantidade de buracos e valetas, impedindo o acesso de veículos. 

Sirlei leva Vanderson até a margem da rua, mas não tem como empurrar a cadeira de rodas além disso devido a buraqueira. Como não passam carros pelo local, ele também não pode ser levado para a escola da APAE, onde estuda, ou para receber atendimento de fisioterapia e médico. "Faz mais de três semanas que ele não sai de casa", lamenta a mãe.

No trecho próximo da RS 122 e do morro do bairro Rio Branco até a esquina com a rua Três Coroas não passa nenhum tipo de veículo. 

Segundo moradores, motociclistas até que tentaram, mas acabaram caindo. O proprietário de algumas casas no local aponta para a erosão e o desmoronamento das margens da rua, sendo que no meio se formaram grandes valetas. Para quem mora na parte mais alta da lomba tem que deixar o carro distante e fazer o resto do percurso a pé. Foi o que fez a nossa reportagem, constando que o local é de difícil acesso. "Faz mais de meio ano que não passa carro aqui. A última vez que patrolaram foi em 2008", afirma Irma Deters, que mora no local há mais de cinco anos.

Sirlei, que tem três filhos, entre eles Vanderson, após se separar do marido, há um mês foi morar na rua que não tem nome. 

Anteriormente ela já morava próximo e conhecia essa realidade. Mas agora ficou pior, principalmente depois das últimas enxurradas. Ela está preocupada porque em março iniciam as aulas na Apae e Vanderson depende do transporte para ir para a escola. "Não teremos como levá-lo", teme, informando que o filho não caminha e não fala. 

Na última vez que ele saiu de casa, cita que teve que contar com a ajuda de vizinhos, carregando o menino nos braços por trilhas no meio do mato. "No começo essa rua era boa, mas depois ficou assim", diz Irma, mostrando as crateras e valetas.

Foto da not?ia

Irregular
Conforme o secretário municipal de planejamento, desenvolvimento e meio ambiente, Alzir Bach, que inclusive mora no bairro Nova Rio Branco e conhece bem a realidade, o loteamento encontra-se em situação irregular e foi interditado pela Justiça. Por isso a Prefeitura está impedida de realizar qualquer obra ou melhoria no local. O Ministério Público (Promotoria de Justiça) inclusive colocou placas em postes comunicando que: "A venda, compra ou qualquer tipo de negócio com terrenos neste local está proibida por ordem judicial".

Segundo Alzir, o loteador da área ainda não regularizou a situação. 

Por isso os moradores sequer tem escritura e o loteamento não possui a infra-estrutura necessária. Ele espera que a situação seja resolvida pela Justiça. Enquanto isso, em caráter emergencial, acredita que na próxima semana deverá ser realizada uma melhoria na rua esburacada, pelo menos permitindo a trafegabilidade e o acesso dos moradores até suas residências. Assim, Vanderson também poderá sair de casa.

 

Comentários (0)

Classificado 0 em 5 com base em 0 votos
Ainda não há comentários publicados aqui

Deixe seus comentários

  1. Publicar comentário como convidado.
Rate this post:
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Digite o texto apresentado na imagem abaixo