Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Com o fim da Paralimpíada, muitos brasileiros se perguntam onde é realizado o treinamento dos atletas e como eles são relevados. Um dos lugares onde se forjam novos esportistas de alto rendimento é a Andef (Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos). Fundada em 1981 pela ex-secretária municipal de Acessabilidade e Cidadania, a instituição já revelou diversos nomes, tendo levado, inclusive, três deles para Londres: Wescley de Oliveira, do Vôlei Sentado, Vanderson Silva, do Lançamento de Disco e Arremesso de Peso, e Clodoaldo Silva, da natação, que era, até os Jogos de 2012,

o maior medalhista paralímpico da história do Brasil (13 no total, sendo seis de ouro). Camille Rodrigues, promessa para a Rio 2016 que o SRZD entrevistou, também é outro talento que vive o dia-a-dia do local.

 

- Contagem regressiva: faltam quatro anos para as Paralimpíadas do Rio

Técnica e professora de natação, Ellen Lecas afirma que a ordem não é formar atletas, mas incentivar o esporte para o lazer e a atividade física. A profissional lembra também que a Andef tem cursos educacionais e realiza atendimento na área de saúde, e ainda ressalta que a instituição é para todos da comunidade.

"A prioridade é para o deficiente físico, mas se houver vaga para a pessoa sem deficiência, ela também tem direito a usufruir desse trabalho. Os únicos critérios são que a criança ou o adolescente precisam estar na escola e têm que apresentar atestado médico", afirma.

- Promessa paralímpica para Rio 2016 faz sucesso com ensaio fotográfico

A assessora de imprensa Danielle Lima explica um pouco mais de que forma a instituição se mantém.

"A Andef é autossustentável com a taxa administrativa da mão-de-obra de cerca de 800 pessoas inseridas no mercado de trabalho. Com os projetos, a gente consegue dar o 'plus' para esse atendimento", diz Danielle, que vai mais fundo na análise.

"Por exemplo, com o programa do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que é o Clube-Escolar, a gente atende 30 adolescentes em fase escolar e consegue, com essa verba, pagar profissionais para que se invista em potências para 2016 e no esporte como um todo. Com a Loterj e o Rio Solidário, a gente custeia bolsa, uniforme, manutenção e pagamento de profissional, puxando esse investimento para os atletas envolvidos e para pessoas sem deficiência também que são atendidas no Projeto Esporte-Comunidade", conclui.

A Andef também é base de treinamento do Goalball feminino e da Seleção de Futebol de 5 masculino, já que possui um hotel todo adaptado com 16 quartos. À espera de 2016, a instituição foi selecionada oficialmente, pelo Comitê Paralímpico Internacional (CPI), para receber as delegações na fase de aclimatização.

Comentários (0)

Classificado 0 em 5 com base em 0 votos
Ainda não há comentários publicados aqui

Deixe seus comentários

  1. Publicar comentário como convidado.
Rate this post:
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Digite o texto apresentado na imagem abaixo