Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Depois de três anos em reforma, o Hospital Pedro II, localizado no bairro dos Coelhos, no Recife, fechado por 28 anos, reabre as suas portas nesta segunda-feira. Administrado pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), a renovada unidade de saúde vai oferecer atendimento de clínica médica e oncologia para adultos, além dos cuidados para pacientes que estão em estado terminal.Os atendimentos serão gratuitos, mas os pacientes precisarão ser encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ou por algum médico do Imip. A direção do hospital afirma que em dois meses 100% dos serviços estarão funcionando com equipamentos modernos e de alta tecnologia. A reforma para salvar o prédio foi realizada graças ao apoio de mais de 50 empresas, entre elas, os Diários Associados, que arrecadaram R$ 24 milhões, dinheiro aplicado na restauração do edifício e mobiliário. Além disso, foram investidos mais R$ 13 milhões, dos quais R$ 7 milhões, destinados a equipamentos.

 

Até o fim de outubro, o novo Pedro II estará inaugurando também o Hospital Geral de Transplante, passando a realizar cirurgias cardíacas e de pâncreas. O hospital também está solicitando o credenciamento junto ao SUS para instalar uma Unidade de Medula Óssea. Com 19,5 mil metros quadrados distribuídos em três andares, o Pedro II, que teve as obras iniciadas em março de 2007, passará a ser o maior complexo hospitalar do Norte/Nordeste, com 820 leitos do SUS. A capacidade de internação será de 9 mil pessoas por ano. A unidade de saúde também vai dispor de enfermarias para pacientes com câncer e portadores de problemas cardíacos e neurológicos.

 

"Já solicitamos o credenciamento do SUS junto ao Ministério da Saúde, que deverá examinar as instalações na próxima semana para liberar os atendimentos. Vamos funcionar como uma unidade de ensino da mesma forma como acontece no Imip, onde o aluno vê o que o professor faz na sala de aula e na sala de cirurgia", ressaltou o presidente Antônio Carlos Figueira. O hospital já trabalha com estudantes provenientes da Universidade de Pernambuco, Faculdade Pernambucana de Saúde e da Universidade Federal de Pernambuco, além de possuir residência médica em oncologia e ciências médicas. "No próximo ano, implantaremos a residência em radioterapia, que é inédita no estado", adiantou Figueira.

 

Mesmo passando pela reforma, alguns setores do novo Pedro II já estavam funcionando, como o serviço de hemodiálise, que atende uma média de 115 pacientes por mês. Há ainda o setor de medicina nuclear, que dispõe do equipamento PetScan, que é capaz de detectar tumores cancerígenos em estágio inicial, e a área de radioterapia, que desde junho do ano passado, atende uma média de 100 pacientes por dia. "O hospital foi vanguarda na medicina de ponta e em radioterapia. Ao devolvê-lo à população, estamos fazendo um resgate histórico de um dos berços da medicina do país", disse o presidente. Com a ampliação, também haverá um acréscimo de 700 funcionários, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas, psicólogos efisioterapeutas.

 

Novas instalações


Subsolo

Centro de Reabilitação Física e Motora - Com uma área física de 610 metros quadrados, este serviço presta assistência ao deficiente físico de alta, média e baixa complexidade. Atende cerca de 200 pacientes por dia.

Nesse pavimento, encontram-se também departamentos de Contas Médicas e serviços de Arquivo Médico e Estatíticas e Manutenção Elétrica, Hidrálica e de Equipamentos

Térreo

Serviço de Medicina Nuclear - Único serviço do Brasil 100% SUS a dispor da tecnologia PetScan, que permite o diagnóstico precoce de tumores. A expectativa é realizar 750 exames por mês

Serviço de Radioterapia - Primeiro serviço 100% em Pernambuco. Atende 140 paciente por mês. O setor tem máquinas de última geração com Acelerador Linear Digital, Sistema de Planejamento Computadorizado Conformacional, Tomógrafo, Multi-slice Simulador e Braquiterapia de alta taxa de dose

Serviço de Hemodiálise Adulto - Realiza atendimento ambulatorial de referência, procedendo exames complementares, diagnósticos, orientações de tratamentoe acompanhamento de pacientes de doenças renais, com realização de hemodiálise e diálise. São atendidos cerca de 140 pacientes por mês

Espaço Ciência e Cultura - Destinado a realização de eventos científicos e culturais, é climatizado com sistema de acústica de audio e vídeo. Tem capacidade para 720 pessoas

Fundação Alice Figueira de Apoio ao Imip - Atua nas ações de marketing, social da instituição e trabalho voluntário no Imip

Voluntariado Dom Helder Câmara - O Imip possui cerca de 400 voluntários. Os Anjos Dourados realizam diversas atividades no Imip, como oficinas manuais, contação de histórias, festas comemorativas como Dia das Mães e das Crianças, Páscoa e Natal

Sala de Defesa de Tese - Ocupa uma área de 266 metros quadrados com capacidade para receber cerca de 65 pessoas. Neste espaço são realizadas todas as defesas de testes de mestrado e doutorado, videoconferências, além de seções solenes. Também funcionam neste piso a presidência, capela, sala do Conselho Consultivo, museu, Central de Materiale Esterelização, restaurante, cafeteria e secretaria

1º andar

Enfermaria de Clínica Médica - Com 65 leitos, a nova enfermaria deverá realizar cerca de 270 internamentos por mês

Oncologia - Terá 36 leitos com capacidade para atender 120 pacientes de oncologia clínica e quimioterapia por mês

Cuidados Paliativos - Serviço inédito na rede SUS, terá 14 leitos para pacientes terminais, além de apoiar o serviço de oncologia do Imip

UTI Clínica - São 10 leitos para internação, que darão suporte aos pacientes da Clínica Médica do Imip. Neste andar também haverá 14 salas tutoriais, alojamento para professores visitantes e Casa do Residente

2º andar

Unidade Geral de Transplantes - Contará com 32 leitos de enfermaria, bloco cirúrgico com duas salas de cirurgia, 10 leitos de UTI Pós-transplante, uma unidade de recuperação pós-anestésica com 6 leitos de recuperação e ambulatório pré e pós-transplante, além de 8 leitos do Hospital Dia. Capacidade de 200 transplantes/ano

Tranplante de Medula Óssea - O serviço contará com quatro apartamentos isolados para os transplantados e realizará cerca de 20 internamentos/mês

Neurologia e Cirúrgia Cardíaca - Abrigará 26 leitos de enfermaria, bloco cirúrgico com duas salas e 10 leitos de UTI. A estimativa é de que sejam realizadas 60 cirurgias por mês

Hospital Dia - A partir desse ano, o Imip passará a oferecer um Hospital Dia voltado para pacientes adultos de alta complexidade. O novo hospital terá 8 leitos com o objetivo de apoiar serviços como transplantes e neurocirurgia. Meta é atender 600 pacientes/mês

UTI e Bloco Cirúrgico - Abrigarão pacientes dos serviços de alta complexidade do Imip, como transplantes, neurológicos e cirúrgia cardíaca. A UTI conta com 10 leitos e o Bloco Cirúrgico com 4 salas de cirurgia e uma sala de recuperação. O bloco tem capacidade para realizar cerca de 120 cirurgias de alta complexidade/mês 

Fonte: Hospital Pedro II/Imip

 

Do Diario de Pernambuco

Comentários (0)

Classificado 0 em 5 com base em 0 votos
Ainda não há comentários publicados aqui

Deixe seus comentários

  1. Publicar comentário como convidado.
Rate this post:
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Digite o texto apresentado na imagem abaixo